domingo, 5 de março de 2017

Cuecas Quentes X Hot Pants


Ginecologia com Plantas para quem quer tomar a sua saúde nas suas mãos. 

Cuecas Quentes é a versão portuguesa da públicação original "C'est Toujours Chaud Dans Les Culottes des Filles" de Isabel Gautlier.
A Fanzine foi então traduzida e actualizada em várias línguas e pode ser encontrada também com o nome: Hot Pants.

Hot Pants é um guia para conheceres melhor o teu corpo e poderes cuidar da tua saúde ginecológica.

Desde anatomia à auto-cura, usando ervas e massagens esta publicação está cheia de receitas e remédios fáceis de usar para vencer infecções fúngicas, doenças sexualmente transmissíveis, desequilíbrios hormonais, atrasos no período, etc ... Através de um conjunto de plantas medicinais e informação nutricional para nos "armarmos" contra práticas médicas abusivas e negligentes.

E adicionamos nós, contra um tipo de ciência que tortura animais para inventar sempre novas receitas farmacêuticas para os problemas do costume. Se as alternativas existem e se queremos realmente deixar de contribuir para a exploração e tortura de animais então é tempo de tomarmos a nossa vida e saúde nas nossas mãos.

Se achas que este guia podia ter mais informação, então é porque está na altura de contribuíres para o crescimento das HOT PANTS!


Descarrega aqui as tuas Cuecas Quentes em formato de Fanzine, que podes imprimir e oferecer às mulheres da tua vida.

Download Cuecas Quentes (PT): http://docdro.id/QAC8taM





Download Cuecas Quentes (PT): http://docdro.id/QAC8taM

Agenda CREA 2017


Já está disponível a Agenda dxs Amigxs dos Animais para 2017 🙊
É verdade, vai mesmo sair a Agenda CREA para 2017.
Depois de um ano de interlúdio voltamos com as nossas maravilhosas agendas que irão certamente ajudar a organizar os vossos activismos, as vossas luas, e de um modo geral os planos e actividades para o ano. Fazêmo-lo porque gostamos de ver xs nossxs amigxs activistas organizadxs. ;)
Com ilustrações de Joana Simões e Álvaro Nogueira. E este ano ainda com a colaboração dx MAM-Portugal.
Até ao final do ano iremos ainda publicar mais alguns conteúdos da agenda de outrxs autorxs, para vosso regalo.
Assim sendo podem desde já começar a reservar as vossas agendas para 2017.
As primeiras 15 encomendas vêm com uns stickers de brinde.

Donativos por cada exemplar:
6 *asteriscos com portes de envio incluídos para todo o país 
Como sempre as nossas agendas são impressas em papel 100% reciclado.

Dimensões: 14.5 cm X 11 cm
A pedido de algumas pessoas temos também um Bloco de Notas que contem as mesmas ilustrações e textos que a agenda, mas no lugar dos separadores diários tem folhas pautadas e lisas.

As Agendas e Blocos de Notas dos Amigos dos Animais são uma iniciativa de angariação de fundos da CREA.





Pensos Menstruais Reutilizáveis

Escrava do supermercado, e dos pensos menstruais descartáveis que no final vão-se reunir com uma montanha de lixo ao qual ninguém sabe muito bem o que fazer?
Chegou a hora de parar de contribuir para esse ciclo de consumo e poluição.
Menstruar pode ser antes dar e nutrir.
As alternativas ecológicas e reutilizáveis estão aí e prometem acompanhar-te durante vários anos sem outros gastos necessários. Para além disso o facto de poderes lavar os teus próprios pensos dá-te a possibilidade de dares utilidade a esse maravilhoso fertilizante natural - o sangue - e de te reconectares com o teu corpo, deixando de teres vergonha ou nojo do mesmo liquido que te corre nas veias!
Os pensos reutilizáveis da CREA são feitos de algodão por uma companheira da ecologia, são laváveis e têm um formato que facilita o seu transporte.
Aquilo que era uma despesa e uma poluição mensal passam assim a fazer parte de um processo de cura e de harmonização das mulheres com a natureza.
Enviamos por correio para todo o país.
Encomendas por mensagem privada. ^^
CREA com Kineret Topaz






4 Patas em Festa, 5 de Outubro 2016, Caldas da Rainha

4 Patas em Festa voltou em força em 2016 pela mão da CRAPAA (Caldas da Rainha Associação de Protecção dos Animais Abandonados), no dia 5 de Outubro de 2016, no Parque D. Carlos I.

À semelhança da edição de 2012 a CREA esteve presente, a convite da CRAPAA, com a sua banca e actividades para crianças e também para graúdos.

4 Patas em Festa é uma iniciativa da CRAPAA com os objectivos de angariar fundos para a Associação, promover adopções dos animais do seu canil e para sensibilizar a população caldense quanto aos maus tratos realizados contra os animais.

Considerando o convite da CRAPAA procurámos montar um leque de actividades que trouxesse mais informação àquele evento, e que desse a conhecer o trabalho que temos vindo a realizar.
Este ano, como na anterior edição do 4 Patas em Festa, em que estivemos presentes (em 2012), contámos com um grupo de voluntárixs excepcional que deu vida e corpo às actividades que proporcionámos.
Tivemos assim a nossa banca a funcionar com vários folhetos que abordam questões relacionadas tanto com a questão da ética animal como com as questões da área da ecologia.
Montámos um espaço de exposição com cartazes sobre a tortura que os animais sofrem diariamente seja em espetáculos de entretenimento, na indústria alimentar, ou do vestuário e também no campo da experimentação animal.
A fim de sensibilizar as novas gerações criámos um espaço de pintura onde as crianças podiam ilustrar os nossos folhetos infantis e ainda um espaço de pinturais faciais onde as crianças eram desafiadas a escolher um animal para pintar na cara, com o objectivo de estimular a empatia das crianças com as mais variadas espécies do reino animal.
No final partilhámos os donativos que recebemos com a CRAPAA, para ajudar também esta associação com o seu trabalho na protecção de animais domesticados e abandonados. Reunimos 5.70€ em donativos para cada parte, os quais foram recolhidos na banca de informação da CREA e na banca das pinturas faciais tambem esta dinamizada por voluntári@s da CREA.
Deixamos aqui um especial agradecimento a todxs xs voluntárixs que deram vida a este evento, sejam xs que estiveram a coordenar como a dinamizar as várias bancas da CRAPAA e as actividades da CREA, e a todas as pessoas que participaram nas actividades proporcionadas - de mente aberta e vontade de se solidarizar com os animais.
Da parte do grupo de voluntárixs da CREA temos a agradecer ao Pedro Herminio que ajudou na montagem e desmontagem do espaço e ao grupo de jovens que assumiu as pinturas faciais entre os quais tivemos as incansáveis Inês Mendonça ; Daniela Loulé; Mariana Gaspar, entre outrxs jovens excepcionais que deram o seu apoio na organização do espaço e apoio às pinturas.


Seguem-se algumas fotos de registo das actividades dinamizadas pela CREA no contexto do evento 4 Patas em Festa.










quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Protesto Anti-Tourada 15 de Agosto 2016 em Caldas da Rainha


Dia 15 de Agosto é já o tradicional dia centenário de tortura Caldense.
A fim de demonstrar que o nosso descontentamento é igualmente tão antigo como a existência das práticas de tauromaquia organizámos uma vez mais este ano um protesto.

Na sequência das várias queixas realizadas ao longo de 2 anos e de três manifestações que foram a bem dizer afastadas por artimanhas e esquemas corruptos realizados pela Pro-Toiro (tauromáquicos) com a conivência da Câmara Municipal de Caldas da Rainha e da Polícia de Segurança Pública de Caldas da Rainha, este ano voltou-se a restabelecer a justiça das coisas.

Uma semana antes do dia do protesto fomos convidados a reunir com representantes da PSP, onde fomos informados de que este ano não iria existir manifestação da Pro-Toiro e que iríamos poder realizar o protesto em frente à Praça de Touros. Mais ainda, desta vez até íamos ter direito a grades de metal para nossa protecção!

Qual não foi o nosso espanto perante tal cuidado após anos de total desinteresse perante a nossa actividade.

A manifestação voltou assim a decorrer no local habitual - em frente à Praça de Touros.

Uma vez mais éramos cerca de 40 pessoas o que é já o número habitual para um protesto no mês de Agosto. No final tivemos ainda oportunidade de nos conhecermos um pouco melhor a falarmos das nossas lutas. Afinal a luta contra a tauromaquia é só mais uma das tantas coisas que une os movimentos anti-especistas e ecologistas.




Protesto Anti Tourada em Frente à Praça de Touros de Caldas da Rainha


Recolha de Publicações Mediáticas:
Artigo do Jornal das Caldas: http://jornaldascaldas.com/Protesto_contra_a_tourada


Artigo da Gazeta das Caldas: http://gazetacaldas.com/sociedade/manifestacao-as-touradas-juntou-40-activistas-frente-praca-touros/

Publicações independentes:https://umagajaradical.wordpress.com/2016/08/16/qual-o-gozo-de-um-espectaculo-tauromaquico/




terça-feira, 30 de agosto de 2016

Bicicletada Anti-Fracking passa por Caldas da Rainha

A Bicicletada iniciou-se em Viana do Castelo a 12 de Junho de 2016 com o objectivo de percorrer o país de bicicleta e de fazer paragens pelas várias povoações que estão na mira das empresas petrolíferas para a extracção ou de petróleo ou de gás natural e em alguns casos ambas.




Descobre aqui o percurso da Bicicletada: https://pad.facilmap.org/bicicletada


FRACKING (FRACTURAÇAO HIDRAULICA)

Permite a produção de gás natural ou petróleo a partir de formações rochosas muito abaixo da crosta terrestre (geralmente 1,500 – 6,100 metros). A tal profundidade, pode não haver condições suficientes, como pressão suficiente que permita o gás natural ou o petróleo sair da rocha para o weellbore (furo criado com a intenção de explorar e extrair recursos naturais) com boa viabilidade económica. Portanto, criando fracturas direccionadas na rocha é essencial para extrair gás de reservatórios de xisto devido á extrema baixa permeabilidade do (shale) xisto.

Em Portugal a zona de mais interesse para as petrolíferas é a área que abrange Bombarral, Cadaval, Alenquer, seguido de uma área mais a norte na zona de Alcobaça, Batalha; Pombal. Mas em Torres Vedras, Barreiro já foram anunciadas a existência da rochas que libertam o Gás de xisto, através da técnica de Fraturação Hidraulica. Agora são anunciadas concessões no Algarve, e a possibilidade da existência também na Serra da Ossa; Estremoz.

EXPLORAÇÃO NO MAR (DEEPOFSHORE)

Toda a costa portuguesa desde o mar do Norte a Sul está estudada e grande parte marcada para exploração de gás e petróleo. Podem vir a haver poços desde os 50/80 km da costa até perder de vista. As primeiras sondagens foram nos anos 60 e nunca mais pararam, muitas delas mais perto da costa. As petrolíferas pretendem perfurar no offshore e no Deep offshore. Desde as praias do Minho às do Algarve o perigo de derrames por acidentes com petroleiros como o caso do Prestige, maior acidente ambiental em Espanha, ou um acidente na plataforma como o caso do Deep Water Horizon Oil Spil, no Golfo do México, numa plataforma da BP, um dos piores desastres ambientais de sempre.


PASSAGEM POR CALDAS DA RAINHA





A fim de receber a bicicletada e xs activistas que deram forma a este movimento o Grémio Caldense de Cultura e Recreio organizou, com o apoio da CREA uma tarde de actividades no Parque D. Carlos I em Caldas da Rainha, no dia 26 de Junho de 2016.

A actividades decorreram no Telheiro do PARQUE D. CARLOS I 
(Entre o lago e o estacionamento da parada)

15H Construção de papagaios 
/ Actividade lúdico infantil
16H Piquenique vegano
/ Momento de partilha, frutas, legumes frescos são bem vindos
17H Video documentário & conversa
/Sobre Fracking e técnicas não-convencionais com membros da Bicicletada
19H Jam Session
/Tragam instrumentos, letras impressas, chucalhos e boa disposição





A Bicicletada continuou depois até Vila Real de Santo António, no Algarve.

Acompanha o diário da Bicicletada em: bicicletada.colectivo1000101.org

Algumas Fotos em Destaque do Evento de Recepção da Bicicletada em Caldas da Rainha: 














terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Campanha de adopção do Chico

Muitas ideias erradas se formularam em torno da história do cão que esteve na mira da polícia para ser abatido na rua de Caldas da Rainha no dia 7 de Dezembro 2015.
Naquele dia um dos membros da CREA esteve no local e assistiu em parte ao que se passou, desde então tornou-se para nós imperativo esclarecer os muitos preconceitos que se formaram sem fundamento sobre a personalidade do animal e acima de tudo SALVAR SUA VIDA.






Ponto de situação atual:
Fomos contatados ontem, 21 de Dezembro, pelos serviços de veterinária do município onde nos informaram que o tempo de detenção do animal está a chegar ao fim.
Ao final de 15 dias dentro de uma jaula em isolamento o Chico poderá finalmente voltar a ver a sua família.
No entanto e muito embora a família seja a primeira interessada no bem-estar do animal, estes temem que não seja possível fazer retornar o animal ao sítio onde vivia anteriormente.
Desta forma procura-se agora uma nova família que possa dar finalmente uma vida calma ao Chico.

Quem é o Chico?
O Chico é um cão tipo pastor, tem um ano de idade e até há muito pouco tempo vivia normalmente numa fazenda junto com outros animais, não tendo a família nenhuma queixa a fazer sobre o seu temperamento. É um animal estimado por todos.

O que correu mal afinal?
O Chico está com esta família desde os 3 meses de idade e nunca tinha atacado ninguém até ao dia em que uma pessoa invadiu a propriedade onde este cão vivia.

O animal agindo por instinto atacou a pessoa que entrou no seu território. Quando o dono interviu para o tentar afastar do invasor, foi também mordido sem gravidade no braço. Ambos se dirigiram ao hospital onde é feito um registo do ataque do cão.

Na semana seguinte, e na sequência do acontecido, e com a preocupação de que pudessem haver complicações legais relacionadas com a vacinação do animal, estes decidem levar o animal a um serviço de veterinária privado onde pretendiam por a vacina da raiva em dia. (segundo a dona do animal está uma queixa apresentada contra a declaração da PSP onde estes afirmam que o cão iria ser eutanasiado)

A senhora afirma que durante a viagem até à veterinária veio a brincar com o animal. No entanto quando chegaram ao pé da clínica e pretenderam tirar o cão do carro este resistiu. O marido da senhora toma a iniciativa de tirar o cinto para fazer de trela. O cão por talvez já ter experimentado anteriormente ser açoitado com um cinto atacou como reacção, mordendo o marido da senhora na cara e os braços.

Posto isto e na impossibilidade da própria família controlar o animal foram chamadas as autoridades responsáveis – polícia, veterinária municipal, protecção civil, bombeiros.

O que se segue terá sido com certeza um misto de alarmismo e de incapacidade real de colocar o animal e as pessoas em segurança.







Sobre o Chico:

No mesmo dia, 21 Dez, encontrámo-nos com uma das pessoas da família do animal, a Susana.
Os membros da família do animal eram de facto as únicas pessoas que ainda não tínhamos ouvido sobre todo o caso, procurámos saber mais sobre a vida do animal e desmistificar a ideia que se criou à volta do temperamento do mesmo.

A família retrata o animal como sociável, afirma que não tem comportamento agressivo, brinca com crianças, dá beijos e gosta de festas. Quando nos encontrámos a senhora estava com uma criança que costumava fazer festas ao Chico como lembrou, estava também presente um sobrinho que afirmava que não podia ficar com o Chico porque vive num apartamento e já tem um cão.

Outros relatos sobre o Chico:
Do canil chega-nos o relato por parte de um dos voluntários que afirma que o animal está bem de saúde, que o ferimento de bala foi de raspão na orelha, e que lhe dão comida na mão.

Em conclusão:
É de nossa convicção de que o cão estaria morto se não fossem as pessoas que estavam assistir terem começado a intervir. Agora é nossa convicção que é possível dar uma boa vida ao Chico!



Poderás ser tu a proporcionar-lhe essa vida?